segunda-feira, 31 de maio de 2010

Paris - Chez Janou


Este restaurante foi indicado em vários blogs de comida brasileiros, eu havia adorado as fotos e os comentários sobre os ótimos pratos, e não via a hora de experimentar. A melhor notícia é que ele estava a apenas cinco minutos de caminhada de nosso hotel, o que tornou a visita mais fácil ainda.

Visitamos o Chez Janou da primeira vez numa quinta a noite. Chegamos meia hora antes do restaurante/bar abrir, mas fomos avisados de que poderíamos esperar na área de fora, tomando uns drinques. Achamos genial, antes de percebermos que tinham aquecedores MUITO fortes EM CIMA de cada mesa, e de sermos avisados de que não poderíamos escolher qualquer mesa, apesar de todas estarem vazias e sem esperas. Dentro do salão, tudo reservado.

Assim, resolvemos desistir naquela noite e procurar um lugar mais simpático (Les Philosophes, falaremos dele em poucos dias...), porém agendando mesa no lado interno para o dia seguinte - eu não podia desistir assim de um lugar tão bem falado por aí!


Voltamos, então, na sexta a noite. Nossa mesa estava reservada, era em lugar ótimo, fofo, confortável. O cardápio era atrativo, a carta de vinhos também. Mas foi o pior atendimento que tivemos em restaurante na cidade, de longe. Garçonetes arrogantes, grosseiras, tipicamente parisienses, sabe? Demoramos hooooras para pedir os vinhos, mais um tempão para pedirmos entrada e principais. E, claro, tivemos que pedir entrada e principais JUNTOS, senão a garçonete não atenderia (segundo ela própria).


Péssimo serviço! Compensado, em parte, pela ótima comida que nos foi servida: de entrada, delicioso queijo de cabra gratinado sobre molho de tomates fresquinho, com pães que só mesmo os franceses sabem fazer; um dos melhores peitos de pato já provados por mim, com um purezinho de batatas delícia; um cordeiro macio e suculento que fez o Marcio lamber os talheres, com vontade! A sobremesa foi uma safada torta de limão, que nada mais era do que massinha simples de bolacha inundada por quantidade enjoativa de lemon curd.


Ah, sim. O lugar é BEM cheio, gente jovem e bonita de um lado, gente de meia idade com cara de intelectual de outro, MUITO barulho e empurra-empurra pra todo canto. E cigarro comendo solto sem parar! E a conta, com duas taças de vinho mais uma garrafa, uma entrada, dois principais e uma sobremesa ficou em 130 euros, aproximadamente.

Vale a pena ir ao Chez Janou? Apesar da ótima comida, ainda não conseguimos nos dar essa resposta...

Obs: imagem linda da abertura "fisgada" na internet, daqui: www.artwindow.fr/chez-janou-paris-3222.html

Chez Janou
www.chezjanou.com
2, Rue Roger Verlomme
Marais, Paris

domingo, 30 de maio de 2010

Häagen Dazs Lemon Cheesecake


A edição limitada da Häagen Dazs, sabor Lemon Cheesecake, não decepciona os fãs: gostinho da nossa tradicional torta de limão brasileira, com inconfundíveis pedacinhos de biscoito americano e um toque generoso de lemon curd. Fica tudo muito gostoso, cremoso, sem ser enjoativo, pois o curd dá aquele toque ácido fundamental! Recomendado!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Cantina Lazzarella


Acabamos de voltar da cantina Lazzarella, uma das antigonas e tradicionais do Bixiga. De segunda a sexta na hora do almoço, eles oferecem vários pratos do cardápio a preços mais acessíveis do que durante a noite, e fomos conferir se o restaurante é tão gostoso quanto outros concorrentes das redondezas.


Pedimos um filé ao catupiry, que custa R$ 31,90 e serve bem duas pessoas. O prato chegou rápido e acompanhado de arroz branco. Vem gratinado, bonitão, e é gostoso. Porém, peca pela falta de sal e do ingrediente principal, o catupiry. Ele está presente, mas muito tímido, escondido pelos outros "engrossantes" utilizados para obter o molho cremosão e espesso.


Como as outras cantinas do Bixiga, a Lazzarella tem uma extensa carta de massas, com vários molhos etc. Pretendemos voltar e conferi-las também. O grande problema da casa é um galo gigante, esse da foto que abre o post, que vive gritando e assustando os clientes, no meio das refeições. Uma aberração desnecessária e extremamente inconveniente, que é acionada de tempos em tempos pelos espirituosos garçons. Ficamos nos perguntando: quem no mundo acha aquilo divertido ou algo de especial? Enfim... Se resolver visitar a cantina, prepare os ouvidos!

Lazzarella
www.lazzarella.com.br
Rua 13 de Maio, 589, Bela Vista. F: 3288-1995.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Paris - Restaurant Le Christine


Nosso primeiro jantar especial em Paris foi no lindinho e aconchegante Le Christine. Numa vizinhança linda, cheia de restaurantes finos e badalados, ficamos com esse pequenino e muito bom restaurante, que marcou pela comida muito bem feita, equilibrada, e por uma das melhores sobremesas da viagem, um mil folhas com creme e abacaxi frescos, delicioso! A conta não sai nada barata, cerca de 200 euros (erramos e corrigimos agora! desculpem!), mas para quem busca boa comida em lugar moderno, com atendimento simpático, ágil e boa seleção de vinhos, esta é uma ótima pedida. Abaixo, algumas fotos para você se inspirar:


Delícia de champagne


Filé com ratattouille e purê de batatas


Cordeiro com cogumelos morilles (sensacionais!) e batatas sauté


Mil folhas de abacaxi com sorbet da mesma fruta


Macarron cítrico com sorbet de laranja

Le Christine
www.restaurantlechristine.com
1, Rue Christine (St. Michel - Metrô Odéon ou St. Michel)

terça-feira, 18 de maio de 2010

Massa com couve-flor e queijos ao forno


Ontem foi o dia de estrear o livro Revolução na Cozinha, do fofo Jamie Oliver. Não se trata apenas de mais um livro de receitas, este vem com uma proposta divertida e útil: que o leitor se comprometa a fazer pelo menos uma das receitas e passá-la adiante para amigos, familiares e o maior número de conhecidos. Assim, todo mundo pode aprender um prato novo e ter o prazer de cozinhar. Jamie garante que, com o livro, "qualquer um pode aprender a cozinhar em 24 horas". O prato ficou delicioso, e levou cerca de meia hora para ficar pronto. E fumegante, e gratinadinho!

Então, estamos fazendo nossa parte, compartilhando esta ótima receita com vocês! Passem adiante!


[Ingredientes]
1/2 pé de couve-flor
200 g de cheddar ralado
100 g de parmesão ralado
Um punhado de salsa
200 g de macarrão curto (utilizamos parafuso)
200 g de crème fraîche (misture um pote de iogurte natural a uma lata de creme de leite e deixe na geladeira por no mínimo seis horas)
Sal e pimenta do reino a gosto

[Preparo]
Pique bem a couve-flor, aproveitando inclusive os talinhos, enquanto a água do macarrão ferve. Assim que obter fervura, salgue a água, adicione a massa e a couve-flor para que cozinhem juntas. Faça o molho: em banho maria, junte o creme aos queijos ralados, mexendo até que se obtenha um molho cremoso e liso. Acerte o sal e a pimenta do reino. Reserve.

Quando o macarrão estiver cozido, escorra a água, coloque em uma travessa quente, e despeje com delicadeza o molho. Polvilhe um pouco de parmesão por cima da massa e leve ao forno por 15 minutos, ou até que o queijo fique dourado e gratinado a seu gosto. Sirva em seguida.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Diário de viagem - Sorvetes em Paris


Viajamos para a Europa nestas férias, passando por Londres, Paris e cidades do sul da França. Escreveremos, pois, alguns textos com dicas e descobertas do nosso passeio. Mas não espere restaurantes estrelados nem nada do tipo. A viagem teve a nossa cara, com os restaurantes, lugarzinhos gastronômicos e comidinhas que escolhemos olhando dicas na internet, sites, ou simplesmente passando na frente.

Para começar, os sorvetes parisienses. Muitos sites e muitas pessoas indicam a Berthillon, uma das mais antigas sorveterias da cidade, também como uma das melhores, quando não dizem que ela É "a" melhor. Experimentamos alguns sabores, tanto dos cremosos, quanto dos sorbets, gostamos um tiquinho, mas eles levam muito açúcar e menos "gostosuras" do que gostaríamos. Por isso, nem fotografamos, e saímos em busca do nosso favorito.

Encontramos a sorveteria Amorino em vários pontos da cidade, com sorvetes realmente cremosos, saborosos, com açúcar na medida, frutas e outros ingredientes idem idem. Achamos "O" nosso melhor! Indicamos os seguintes sabores: Speculos, Chocolate Amorino, Framboesa, Creme Caramel. Evite apenas os de limão ou maracujá. Destes, temos melhores por aqui.

Outros sorvetes que agradaram bastante foram os do Christian Constant. Delícia prová-los caminhando até os Jardins de Luxemburgo!

Berthillon
29-31 Rue Saint Louis en L'Ile, Paris

Amorino
31 Rue Vieille du Temple, Paris

Christian Constant
18, Rue de Fleurus, Paris

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Paglia e feno


Oi, gente!

Voltando com uma receitinha deliciosa para o frio, simples de fazer, e cheia de gostosuras: cogumelos, presunto, parmesão... Vale a pena se aventurar na cozinha e experimentar!

[Ingredientes]
300 g de talharim paglia e feno (branco e verde)
2 colheres cheias de manteiga
1 cebola grande picada
150 g de presunto magro em fatias finas
1 xícara de cogumelos picados (Paris ou champignon mesmo)
1 xícara de ervilhas congeladas
1 lata de creme de leite (se quiser, use o fresco)
1/2 xícara de parmesão ralado
Pimenta do reino, sal e noz moscada a gosto

[Preparo]
Derreta metade da manteiga em uma frigideira funda e larga e, depois, acrescente a cebola, dourando delicadamente. Acrescente os cogumelos, sal e pimenta, e deixe cozinhar por cinco minutos, ou até a água evaporar. Junte, aos poucos, o presunto e, por fim, as ervilhas. Mais dois minutinhos e, depois, acrescente o creme de leite. Quando começar a ferver, desligue o fogo, acrescente o parmesão ralado, mexa bem e, por fim, polvilhe a noz moscada, sem dó.

Ao macarrão cozido al dente, acrescente o resto da manteiga, misture levemente e, depois, despeje o molho, integrando a massa completamente. Sirva imediatamente, pois é fácil de esfriar...